Publicado em: 29/11/2021 às 16:07
Efluente irregular é detectado na Estação de Tratamento de Esgoto
Microrganismos tiveram que degradar uma concentração maior de matéria orgânica, aumentando a produção do gás que gera o odor desagradável
Material irregular foi detectado entrando na ETE na última sexta-feira (26)

 

Na última semana, a equipe técnica do Saema (Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras) detectou a entrada de material contaminante na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), provavelmente oriundo de efluente (resíduo) industrial.

No mesmo momento amostras foram colhidas e feitas as devida análises e ficou constatado que tal material não prejudicaria o processo de tratamento com microrganismos que vem sendo submetida à estação.

Devido ao fato, os microrganismos tiveram que degradar uma concentração maior de matéria orgânica, aumentando assim a produção do gás que gera o odor desagradável na região da ETE.

O Saema neste ano dobrou a capacidade de tratamento do esgoto saindo do patamar de 110 litros/segundos para mais de 220 l/s, ou seja, um aumento considerável no tratamento.

Lembrando ainda que em relação a eficiência desse tratamento (com microrganismos autóctones) a eficiência está além de 70%.

  

Comunicação/Saema-PMA